25 de ago de 2010

Eu e a outra

Moça diante do espelho - Picasso



        O que eu tenho de melhor eu não guardo, compartilho. Amor pelas pessoas, amizade sincera, carinho gratuito, abraço apertado, olhar compreensivo, sorriso aberto.
        O que posso dar, distribuo sem economia: palavra doce, ombro amigo, lágrima solidária, companhia alegre... ou triste, mas presente.
        Defeitos, tenho muitos... Uns que sei, outros que nem sei, mas todos esses eu escondo. E faço uma força danada!  Pra que mostrar, ficar alardeando aos quatro cantos o lado B? O mundo já está cheio de gente que estampa seu lado pior em outdoors mentindo, trapaceando, traindo a confiança, sendo grosseiro, insensível, intolerante, preconceituoso, pisando em cima, machucando, ignorando, olhando somente para o seu umbigo.
        Se há que mostrá-lo, prefiro que seja a mim mesma, em frente ao espelho, face a face, apresentando uma, à outra que não é perfeita.
        E assim, neste exercício de conhecimento e reconhecimento, ficamos as duas, cara a cara... uma sem máscara, a outra sem vaidade. Nesse momento, percebo que é a mistura das duas que me completa... e me torno uma pessoa melhor... todo dia... diante do espelho.

21 de ago de 2010

Poema devolvido


Pensas que és homem, mas és menino...
Um doce menino-gigante!
Com certeza, tivesses escolhido,
tinhas nascido em noite de lua cheia,
pois em ti, tudo é hiper, é over, é Max:
tamanho, beleza, carisma e afeição
gentileza, travessura e certezas...
De que o amor é lindo e a vida... uma festa!
A festa do Max!

Teu sorriso largo, por vezes, parece
esconde um coração machucado...
Mas se dói...
de onde vem tanta doçura, menino?
Tua alegria que sempre me contagia,
espanta uma certa melancolia...
Mas quero que saibas:
tua presença é sol, é girassol
É luz, é cheiro de bem-querer...
Tua amizade, pra mim, não tem preço!

Hoje, sou eu que devolvo
um poema de verso tão lindo:
"Enfim, teu nome me diz
coisas lindas aqui dentro do meu coração!"
E o teu... o teu também me diz!






Para um querido amigo que há 20 e tantos anos atrás me presenteou com este singelo e lindo poema e eu prometi que um dia devolveria o carinho.... aí está! 












8 de ago de 2010

Meu pai em mim...


Imagem tirada de: be-fontedepalavrasmouras.blogspot.com

Pai, não te tenho mais diante dos meus olhos, mas quando fecho os meus sinto a doçura dos teus. Toda a doçura do mundo eu conheci no teu olhar. E toda paciência, e toda tranquilidade... Meu mundo é doce porque teu amor encharcou minha alma. E de mim agora exala o perfume que teus beijos carimbaram, espalhando por todo lado o aroma do bem querer...
Continuidade... o teu amor que através de mim se expande... teu exemplo tatuado nos meus gestos e nas minhas atitudes multiplicando por onde passo tudo de bom que me ensinastes...