21 de ago de 2010

Poema devolvido


Pensas que és homem, mas és menino...
Um doce menino-gigante!
Com certeza, tivesses escolhido,
tinhas nascido em noite de lua cheia,
pois em ti, tudo é hiper, é over, é Max:
tamanho, beleza, carisma e afeição
gentileza, travessura e certezas...
De que o amor é lindo e a vida... uma festa!
A festa do Max!

Teu sorriso largo, por vezes, parece
esconde um coração machucado...
Mas se dói...
de onde vem tanta doçura, menino?
Tua alegria que sempre me contagia,
espanta uma certa melancolia...
Mas quero que saibas:
tua presença é sol, é girassol
É luz, é cheiro de bem-querer...
Tua amizade, pra mim, não tem preço!

Hoje, sou eu que devolvo
um poema de verso tão lindo:
"Enfim, teu nome me diz
coisas lindas aqui dentro do meu coração!"
E o teu... o teu também me diz!






Para um querido amigo que há 20 e tantos anos atrás me presenteou com este singelo e lindo poema e eu prometi que um dia devolveria o carinho.... aí está! 












2 comentários:

  1. Foi um gesto bonito da sua parte, pois nunca é tarde para darmos um carinho.

    Beijo :)

    ResponderExcluir